906 Views |  2

NOS Alive 2015, Raw Coreto #dia1

Estivemos presentes no primeiro dia de NOS Alive e após uma perspetiva geral de ambiente e concertos, percebemos a razão pela qual este dia ter esgotado.

A marca G-Star Raw, que tem vindo a ser pioneira na reciclagem de lixo proveniente do oceano para a produção de fibras no vestuário, apostou, pelo segundo ano consecutivo, no Palco Raw Coreto e apresentou-nos um conjunto das melhores bandas portuguesas ao público que está sempre “Alive”.

O Raw Coreto by G-Star Raw abriu com a atuação de Les Crazy Coconuts – banda portuguesa (mais especificamente de Leiria) que junta ao sapateado de Adriana Jaulino, sonoridades com influências Rock, Jazz e Pop. Rapidamente o palco ficou cercado pelo público que dançou e aplaudiu a performance da linda “navegante da lua” e da banda composta por Tiago Domingues, Gil Jerónimo e Hugo Domingues.

alive2

alive6

De seguida, Light Gun Fire, encheu não só, literalmente, o Coreto, mas também a alma de quem parou para ouvir a música deste grupo de amigos que formaram a banda no ano passado. E já que falamos em encher a alma, esta expressão remete  na perfeição para Basset Hounds, a banda que toca sonoros de um variado mix de melodias e influências, que acabam por resultar e que lhes dá a sua própria identidade.

alive4

alive1

Por último e a fechar o Raw Coreto, Nice Weather for Ducks, fizeram com que toda a gente que por ali estava a recarregar baterias às 02.40h, se levantasse e dançasse ao som das suas músicas com uma energia contagiante, com influências que vão beber ao Indie e ao Pop.

alive5

O primeiro dia foi cheio e em grande, que venha o segundo!

http://nosalive.com/pt/

Texto: Isabela Gonçalves
Fotografia e Vídeo: Beatriz Pereira