3521 Views |  2

8 Podcasts Portugueses Para Ouvir e Procurar Por Mais

Depois de uma edição estrangeira, seria de mau tom não destacar alguns dignos e meritórios podcasts portugueses. Tentei que a escolha não recaísse muito em programas de rádio, mas vale a menção honrosa ao Aleixo FM, cujos 3, 4, 5 minutos habituais são, regra geral, geniais.

A Hora da Maçã (e não só)

Este podcast de Nuno Luz, Ricardo Fernandes, Pedro Aniceto e Carlos Dias da Silva aborda todos os temas Apple mas abre-se também a outras marcas, gadgets e questões tecnológicas mais latas. Posiciona-se como “rubrica informal” que analisa o impacto que a tecnologia tem no dia-a-dia das pessoas. Eu, que quero saber se e quando devo comprar um Mac Book ou um iPhone SE, já sigo este podcast com fervor.

Até Tenho Amigos que São

É um podcast de entrevistas — mas, honestamente, são mais conversas informais e descontraídas — conduzidas por Rodrigo Nogueira, que sai sempre à quarta e é sempre interessante. As conversas giram à volta de pessoas associadas à música que se faz em Portugal, mas não só, a variedade de convidados é como a qualidade deste podcast: muito boa. O primeiro episódio foi uma conversa (sobre tudo e mais alguma coisa) com o Sam the Kid e, entretanto, já vai no episódio 66. Já passaram por lá pessoas como Whit Stillman, Gonçalo Waddington, A.M.O.R., a Cafetra, Branko, Filipe Melo, Sérgio Godinho, Manuel João Vieira, entre muitos mais.

Biblioteca de Bolso

Este podcast conduzido por Inês Bernardo e José Mário Silva — que começou a 11 de janeiro deste ano com um episódio em que se apresentam e discutem os livros com os quais mantêm uma relação especial (Orwell e Al Berto, Cervantes e Joyce) — concentra-se na relação de leitores e autores com livros. Sempre uma conversa coloquial a três vozes, já tiveram, entre outros, convidados como Catarina Homem Marques, Lídia Jorge, Pedro Mexia, Joana Bértholo, Djaimilia Pereira de Almeida e Gonçalo M. Tavares.

Brandos Costumes

Pedro Paulos começou por fazer mixtapes de música portuguesa que ele admirava e que os amigos poderiam não conhecer (se isto não é serviço público não sei o que será). Depois de algum sucesso enquanto embaixador-da-música-portuguesa-menos-conhecida, foi convencido por Rodrigo Nogueira a tornar as suas mixtapes num podcast quinzenal onde dá a conhecer as partes mais esquecidas da música nacional. O formato pode variar entre a entrevista, a reportagem ou a crónica, mas a missão é constante: descobrir o passado e especular sobre o futuro.

Made of Things

Made of Things é um projeto do António Maria Correia que apresenta entrevistas normalmente a músicos e bandas estrangeiros. O mote do podcast é o António gostar de coisas e ir falar com quem as faz. Apesar de ser um podcast português-em-inglês, já passou várias vezes pelo top de Podcasts do iTunes. Com 30 episódios, já por lá passaram pessoas como Bonnie “Prince” Billy, Ishmael Butler e Tendai Maraire (Shabazz Palaces), dois episódios com o Jim Black, David Gordon Green e Jack Antonoff (fun. e Bleachers).

Obrigado, Internet

O Obrigado, Internet conta com três apresentadores: Nuno Dias (Um azar do Kralj), Pedro Paulos (do Brandos Costumes) e o Fernando Alvim (de mil coisas desde quase sempre). O mais importante ao acompanhar os episódios do Obrigado, Internet é ter vontade/disponibilidade para apalhaçar ou, mais concretamente, ouvir outros apalhaçar (no melhor dos sentidos). Enquanto podcast semanal, passa em revista o que aconteceu na semana na internet (memes, polémicas, cenas virais), mas também há convidados: Carolina Torres, Wandson Lisboa, Alex D’alva Teixeira e outra gente boa onda para conversas.

Segundo Take

Depois do projeto Fãs Danados (com Daniel Neves e Jorge Cardoso Lopes), António Araújo regressa ao microfone com (um) Segundo Take. O programa, que gira à volta dos 20 minutos (excepto quando se fala de A Guerra dos Tronos ou Batman v Super-Homem), dedica-se ao “culto cinéfilo” de tudo o que é série B mas não só, com um gosto e um conhecimento que dá gusto ouvir.

SpinOff

Os incríveis João Moreira (voz do acima-mencionado Bruno Aleixo) e José Santiago (outro bom rapaz de Coimbra) dedicam este seu podcast — onde já receberam comitivas do Obrigado, Internet — à discussão de ideias para potenciais spinoffs (coisas-que-resultam-de-outras-coisas, como o Better Call Saul veio do Breaking Bad), sejam eles de séries de televisão, de filmes ou de banda desenhada (ou de filmes de banda desenhada).

Texto: Ana Cabral Martins
Fotografia: Direitos Reservados