663 Visualizações |  Gosto

Um balanço já quase no final do Queer Lisboa: “Estamos muito felizes”

O Queer Lisboa começou na passada sexta-feira, 16 de setembro, com um programa ambicioso que inclui, entre outras grandes novidades, uma retrospetiva dedicada ao cineasta Derek Jarman (1942-1994), uma das figuras mais marcantes do cinema britânico pós-punk. O primeiro dia de festival ficou marcado, como seria de esperar, pela exibição do filme Absolutely Fabulous, adaptação ao cinema da comédia de culto que estreou em 1992 na BBC.

Pelas salas do Cinema São Jorge e da Cinemateca Portuguesa passaram já filmes como Antes o Tempo Não Acabava, de Sérgio Andrade (que esteve em Lisboa para apresentar a longa-metragem) e Fábio Baldo; Tchindas, dos espanhóis Marc Serena e Pablo García Pérez, integrado na competição de documentários; Left Our Own Devices, conjunto de telediscos que Derek Jarman realizou para artistas como The Smiths, Pet Shop Boys, Suede e Patti Smith e, também assinados pelo cineasta britânico, The Last of England, uma das suas obras mais pessoais, The Tempest, e o documentário que realizou para a banda escocesa Orange Juice, e que teve nesta edição do Queer a sua estreia mundial.

Paulo César Toledo esteve no São Jorge, no dia 20, a apresentarWaiting for B., um documentário sobre um grupo de fãs da cantora norte-americana Beyoncé. O Ninho, da dupla brasileira Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, esteve também em destaque no festival.

Esta quinta-feira, decorreu na Cinemateca um debate sobre Derek Jarman, considerado pela organização um dos pontos altos desta edição do Queer Lisboa, e que contou com a presença de colaboradores próximos do cineasta britânico, como o produtor James Mackay, o ator Keith Collins, antigo companheiro de Jarman, William Fowler, programador do British Filme Institute (BFI), e John Scarlett-Davis, assistente de realização de Jarman em The Tempest.

A Magnética Magazine esteve na quarta-feira à conversa com o diretor artístico do festival, João Ferreira, que apresentou um balanço não só dos primeiros dias de festival, como do Queer Lisboa, que celebra este ano o seu 20.º aniversário.

Texto e Entrevista: Helena Bento
Vídeo: Alexandre Murtinheira